Nós pensamos em tudo para você! Roteiro de 5 dias na Ilha da Magia!

01 out Nós pensamos em tudo para você! Roteiro de 5 dias na Ilha da Magia!

Conhecer um novo destino, ou retornar a um que se tenha gostado para repetir a dose ou explorar ainda mais, sempre demanda planejamento; o que pode ser emocionante para alguns e estressante para outros.

Emocionante para quem gosta de ler, pesquisar, montar roteiro, falar com pessoas para saber como foi a experiência delas, calcular tempo e dias pensando no que quer fazer na cidade a ser explorada… estressante, para os que não curtem nada disso e querem dicas e roteiros prontos de quem já foi.

 Para esses dois tipos de perfil de pessoa, e que já tem viagem marcada para Florianópolis ou sonha em vir para cá e está de olho em uma próxima oportunidade de viagem, preparamos um material recheado de dicas, que possibilitará aqueles que gostam de fazer o seu próprio roteiro terem ideias a partir do nosso, e para os que gostam do roteiro pronto, seguir as nossas coordenadas e aproveitar!

Nossa dica nº1 é: fique no centro! A Ilha é bem grande e há muita coisa a ser explorada! Se você escolhe uma região, por exemplo, Norte ou Sul, acaba se limitando a ela; quando fica no centro, ganha mobilidade para ir a qualquer lado, e ainda as comodidades do centro, como shopping Beiramar e maior e mais variada estrutura de bares e restaurantes! Sendo assim, quando pensar em hospedagem em Florianópolis, pense no Porto da Ilha Hotel, estamos no centro da cidade!

Aqui vamos sugerir um roteiro de 5 dias! A melhor forma de segui-lo é de carro, para se deslocar com mais facilidade entre os locais. Mas também há grande oferta de ônibus, táxi e veículos de aplicativo na cidade. Dependendo da época do ano, especialmente entre natal e carnaval, venha preparado para enfrentar algum congestionamento, e como fugir dele? Na recepção do Porto da Ilha, damos as dicas dos melhores horários para se deslocar!

Dia 1 –  Centro e Norte da Ilha

No primeiro dia, com sol é claro (rsrsrs) você pode começar o seu passeio visitando algumas das praias do norte da ilha, começando pela Praia do Forte, acessada por uma pequena estrada no canto esquerdo da Praia de Jurerê. É uma praia com um clima familiar e bem tranquila. Lá você pode aproveitar para visitar a Fortaleza de São José da Ponta Grossa, um forte que fazia parte do sistema de defesa da Ilha de Santa Catarina. Em seguida visite a Praia de Jurerê Internacional, o endereço mais caro da cidade, com dezenas de mansões de luxo e bares badalados à beira da praia. Ela tem como continuação a praia de Jurerê (Tradicional), que não tem todo o agito da anterior, mas é tão boa quanto. Ideal para aqueles que gostam de praia sem ondas e com água quente. Se está com criança, também agrada aos pequenos, que podem aproveitar melhor o banho de mar!

Neste dia, se você não almoçou em Jurerê, pode fazer um late lunch em Santo Antônio de Lisboa, um pequeno bairro com casas no estilo açoriano que teve um papel importante na história da cidade.  Há vários restaurantes e cafés à beira da baía, com vista para a cidade! De lá, é possível ver a Ponte Hercílio Luz, comprar artesanato e caminhar sentindo a brisa do rosto. Para chegar no bairro, basta pegar a rodovia SC-401 em direção ao Centro e sair no primeiro trevo à direita após a praça de pedágio desativado. Se gostar do passeio, sugerimos um uma outra oportunidade, assistir ao por-do-sol, é lindo!

A sugestão para o final desta tarde é passear pela região do trapiche da Av. Beira-Mar Norte, no Centro, e caminhar até a Ponte Hercílio Luz, o cartão postal da cidade. Próximo à ponte está o Forte Santana, junto a um pequeno museu de armas da Polícia Militar, um local que rende boas fotos.

Dia 2 –  Sul da Ilha 

No segundo dia a sugestão é visitar as Praias do Sul da Ilha, e o passeio pode começar pelo Mirante do Morro das Pedras, localizado junto a uma casa de retiros, no alto de um morro. Na sequência, você pode curtir a tranquilidade da Praia da Armação e Praia do Pântano do Sul. Para o almoço, o indicado é o Ribeirão da Ilha, um dos maiores produtores nacionais de ostras. Há muitas opções de restaurantes, citamos aqui o Porto do Contrato, Ostradamus e o Rancho Açoriano que tem produção própria e pescados sempre frescos! Se quiser tomar um cafezinho com sobremesa após o almoço, também encontrará no Ribeirão.

Aproveite a tarde nas areais da Praia do Campeche, uma praia com faixa de areia bem extensa e mar aberto, com vista para a pequena Ilha do Campeche, logo à sua frente. Caso se interesse, a Ilha do Campeche também recebe visitação, e você pode agendar com antecedência sua ida, optando pelos passeios que saem da praia da Armação, praia do Campeche ou Barra da Lagoa. De Dezembro a Março, opasseios são diários e ocorrem várias vezes ao dia.

Dia 3 – Leste da Ilha / Lagoa da Conceição

No terceiro dia, a sugestão é conhecer as praias do Leste da Ilha; as praias da Joaquina, Praia Mole e Barra da Lagoa, que surgem pelo caminho exatamente nesta ordem, para quem vem do centro pela Lagoa da Conceição.

Joaquina é uma praia com uma faixa de areia bem extensa e muito procurada pelos surfistas. Na estrada que dá acesso à praia, há várias dunas que são muito visitadas pelos turistas. A caminho para a Praia Mole, passe no mirante Ponto de Vista. Além de bater fotos lindas, no local é possível apreciar a vista da Lagoa da Conceição tomando um café – ou um suco nos dias quentes. De qualquer direção que se olhe, o cenário é deslumbrante e vale uma visita prolongada. A Praia Mole também tem ondas, mas é uma praia menor e que tem vários bares na beira da praia. A Barra da Lagoa é uma praia mais calma, com alguns restaurantes próximos à praia e uma unidade do Projeto Tamar, que cuida das tartarugas. Vale a pena a visita! Na Barra da Lagoa, você também pode conhecer e caminhar pelo molhes, assim como ir as piscinas naturais!

No final do dia, vale a pena passear pela Lagoa da Conceição, passando pela avenida das Rendeiras e terminando no centrinho do bairro, onde há várias lojas, cafés e restaurantes, além de uma feirinha de artesanato na praça central.

Dia 4 – Norte da Ilha

A nossa sugestão para o quarto dia, é explorar um pouco mais o norte da ilha; e o passeio pode começar pela Praia do Santinho, uma praia com faixa de areia larga e extensa e que não fica tão lotada quanto as outras praias, a água é cristalina e os morros embelezam ainda mais o local! Há uma trilha onde é possível encontrar inscrições rupestres e ainda chegar a Praia do Moçambique.

Para chegar a Praia do Santinho, é preciso passar antes pela Praia dos Ingleses, que pode ser visitada na volta e é um bom lugar para almoçar, pois há vários restaurantes no centrinho e próximos à praia.

Depois de conhecer a Praia dos Ingleses e almoçar, a sugestão é visitar a praia da Lagoinha que é mais uma das praias com água cristalina e sem ondas. A Praia Brava é linda e como o próprio nome já diz, costuma ter mar agitado. Na volta das praias você passear pelo centrinho da Praia de Canasvieiras, praia preferida dos Argentinos!

Dia 5 – Centro

No quinto dia você com certeza já terá seus lugares preferidos em Florianópolis e já estará planejando a próxima vinda para cá! Como já está quase na hora de ir para casa, mas ainda há tempo para explorar, sugerimos conhecer o centro histórico.

Você pode conhecer a Praça XV de Novembro e sua Figueira Centenária, uma árvore muito antiga que dizem ter nascido em 1871 em frente à catedral e que teria sido transplantada para sua posição atual em 1891.  Ir até a Catedral Metropolitana da Florianópolis, passar pela  Praça Fernando Machado, onde está o Memorial ao Miramar, um monumento em homenagem ao antigo Trapiche Municipal Miramar, que localizava-se ali há algumas décadas, quando o aterro ainda não existia e o mar chegava até o Mercado Público. Almoçar no Mercado Público

Numa esquina em frente à catedral está o Palácio Cruz e Sousa, que por décadas serviu como a sede do governo de Santa Catarina e chegou a receber a visita dos imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II. Atualmente abriga o Museu Histórico de Santa Catarina, com uma exposição permanente no andar superior mostrando como era o edifício antigamente, com pinturas, mobílias e objetos de decoração originais.

Depois de visitar o museu uma boa opção é caminhar pelos calçadões, as ruas de comércio da região central da cidade. Há várias delas que são exclusivas para pedestres. As maiores e mais populares são a Rua Felipe Schmidt Rua Conselheiro Mafra, duas ruas paralelas que concentram a maior parte do comércio da região.

Neste último dia, se tiver voo mais tarde, a sua bagagem pode ficar no nosso guarda volumes como cortesia! Vale ou não a pena vir para cá? Florianópolis e o Porto da Ilha estão te esperando!